AgendaCulturaUm Rei e Três Imperadores no Museu de São Roque

A exposição possui peças pouco conhecidas do público e outras que estão a ser mostradas pela primeira vez. Estará em exibição de 26 de dezembro a 5 de abril de 2019.
20 de Dezembro, 2019716 min

Para celebrar os 20 anos da Transferência de Soberania de Macau para a China, a Santa Casa da Misericórdia organiza a exposição “Um Rei e Três Imperadores. Portugal, China e Macau no tempo de D. João V”, na Galeria de Exposições Temporárias do Museu de São Roque. Ao todo, 50 peças serão exibidas na exposição que estará patente de 26 de dezembro a 5 de abril do próximo ano. 

Com curadoria de Jorge Santos Alves, a exposição possui “peças pouco conhecidas do público e outras que serão mostradas pela primeira vez”, lê-se no Comunicado de Imprensa enviado ao Ni Hao Portugal.  O objectivo é mostrar as relações luso-chinesas na sua dimensão global, “centrando-se na primeira metade do século XVIII, um dos períodos mais intensos e relevantes do relacionamento entre Portugal e a Europa, e a China”. 

O período coincide “com o longo reinado de D. João V (1706-1750) em Portugal e com os reinados de três imperadores chineses – Qing Kangxi, Yongzheng e Qianlong – e é revisitadado nesta exposição através de mais de 50 peças que mostram o modo como se processou a aproximação e o conflito entre os dois reinos”.

A exposição estará será constituída por quatro núcleos divididos fisicamente na Galeria de Exposições Temporárias do Museu de São Roque. 

No primeiro núcleo, o espaço Tempo do Diálogo é dedicado à dimensão político-diplomática, com o período histórico retratado de 1721 a 1725. O segundo, Negócios, Sociedades e Companhias demonstra o tempo do chá e da porcelana, ilustrado através das relações comerciais-marítimas entre a Europa e a Ásia. “As mercadorias chinesas eram crescentemente desejadas nos mercados europeus e nas colónias europeias, levando a novos hábitos de consumo e a novidades na cultura material quotidiana”. 

O Tempo dos Fascínios, Intercâmbios e Tensões é o núcleo que se segue e foca-se na dimensão cultural, cientifico-tecnológica e religiosa. “Além da cooperação científica, houve ainda a introdução na China da mais moderna tecnológica europeia”.  No quarto e último núcleo, Macau. O Tempo dos Novos Tempos, será exibido a dimensão de Macau no Porto Internacional de Comércio. “Macau viveu, na primeira metade do século XVIII, um tempo de reajustamento à dinastia Qing e ao aumento do controlo burocrático e político sobre a cidade, o que fez com que tivesse de se ajustar aos novos concorrentes europeus, nos mercados chines e asiáticos em geral”. 

Além dos 20 anos, o Museu de São Roque pretende também comemorar os 40 anos de Estabelecimento de Relações Político-Diplomáticas entre Portugal e a República Popular da China, e os 450 anos da Fundação da Santa Casa da Misericórdia de Macau. 

Um Rei e Três Imperadores estará em exibição de 26 de dezembro a 5 de abril de 2019, no Museu de São Roque, em Lisboa. A entrada é gratuita. 

Deixa uma Resposta

Seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios estão marcados com *

Posts Relacionados