CulturaJosé Luis Peixoto traduz poeta chinês Jidi Majia

O primeiro livro do poeta chinês Jidi Majia a ser publicado em Portugal, "Palavras de Fogo", chega este mês às livrarias e é uma janela aberta para a paisagem da China, com as suas múltiplas etnias, culturas e tradições
25 de Março, 2019443 min

O primeiro livro do poeta chinês Jidi Majia a ser publicado em Portugal – “Palavras de Fogo” – chega este mês às livrarias e é uma janela aberta para a paisagem da China, com as suas múltiplas etnias, culturas e tradições. A obra foi traduzida para português por José Luís Peixoto é editada em Portugal pela Rosa de Porcelana.

José Luís Peixoto espera que esta seja uma “leitura importante, [uma] janela a mostrar-nos mais deste mundo imenso, simultaneamente uno e múltiplo”.

Com chegada prevista às livrarias portugueses ainda durante este mês, “Palavras de Fogo” é o primeiro livro publicado em Portugal da autoria de Jidi Majia, poeta chinês com mais de 20 obras, traduzido para mais de vinte idiomas e publicado em mais de trinta países.

Sobre a tradução da obra, José Luís Peixoto conta que a vontade de a fazer nasceu por ter lido uma parte destes poemas justamente enquanto visitava as províncias de Sichuan e de Yunnan.

Considerando que a concretização deste projecto representou a possibilidade de comunicar directamente com as pessoas que conheceu durante essa sua viagem, o escritor português só lamenta não saber ainda suficiente mandarim para poder traduzir estes textos a partir do original.

A primeira versão da tradução foi, então, feita a partir das traduções inglesa, francesa, galega e castelhana.

Posteriormente enviou esse texto para You Yupin, que havia conhecido previamente em Pequim e que tinha experiência de transpor do português para o mandarim, para que confrontasse a versão traduzida com os poemas originais.

“Mais tarde recebi este texto amplamente anotado e, a partir daí, cheguei a esta versão final”, disse Peixoto.

Fonte: Lusa

Deixa uma Resposta

Seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios estão marcados com *