EconomiaRelações diplomáticasRelações económicasRelações jurídicasChineses são os que mais investem nos Vistos Gold

Em abril, foram concedidas 53 Vistos Gold, 15 são provenientes da China. 
14 de Maio, 20204103 min

Os investimentos captados através dos “Vistos Gold” caíram 46% em abril, face ao período homólogo, para 28 milhões de euros. A comunidade chinesa continua a ser a que mais aposta neste investimento em Portugal. Os dados foram divulgados no Serviço de Estrangeiros e Fronteiras (SEF).

Em abril, foram concedidos 53 vistos ‘gold’, dos quais 45 por via do critério de aquisição de bens imóveis e oito através da transferência de capitais. No total, foram atribuídos 259 vistos ‘dourados’ nos primeiros quatro meses do ano.

“No mês passado, o investimento na compra de bens imóveis totalizou 24,4 milhões de euros e a transferência de capitais 3,6 milhões de euros […] Das 53 concessões de visto ‘gold’ em abril, 15 foram provenientes da China, nove do Brasil, cinco do Irão, três da Rússia e dois da Dominica”.

Até abril, em termos acumulados, foram atribuídos 7.970 vistos ‘gold’ por via da compra de imóveis, dos quais 519 tendo em vista a reabilitação urbana. Por requisito da transferência de capital, os vistos concedidos totalizam 479 e foram atribuídos 17 por via da criação de, pelo menos, 10 postos de trabalho.

Por nacionalidades, a China lidera a atribuição de vistos (4.518), seguida do Brasil (895), Turquia (401), África do Sul (334) e Rússia (316).

Em mais de sete anos – o programa ARI foi lançado em outubro de 2012 –, o investimento acumulado até março passado totalizou 5.139.988.415,56 euros, com a aquisição de bens imóveis a somar 4.638.251.988,90 euros.

“Do total de investimento em compras de imóveis, 186.801.419,45 euros correspondem ao requisito de aquisição tendo em vista a reabilitação urbana. Já os vistos atribuídos por transferência de capitais totalizaram 501.736.427,66 euros”.

Desde a criação deste instrumento, que visa a captação de investimento estrangeiro, foram atribuídos 8.466 ARI: dois em 2012, 494 em 2013, 1.526 em 2014, 766 em 2015, 1.414 em 2016, 1.351 em 2017, 1.409 em 2018, 1.245 em 2019 e 259 em 2020.

Desde o início do programa foram atribuídas 14.552 autorizações de residência a familiares reagrupados, das quais 515 em 2020.

Deixa uma Resposta

Seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios estão marcados com *