NegóciosSem CategoriaPlano Estratégico da CCPC-PME para 2021 

Diante de uma epidemia global sem precedentes,  Câmara de Comércio de Pequenas e Médias Empresas Portugal-China superou várias dificuldades e quer continuar a promover o comércio luso-chinês.
7 de Janeiro, 202118710 min

A Câmara de Comércio de Pequenas e Médias Empresas Portugal-China (CCPC-PME) foi oficialmente registada e estabelecida em Condeixa-a-Nova, Portugal, a 7 de maio de 2020. No dia 10 de junho de 2020, realizou uma cerimónia de inauguração em Condeixa-a-Nova. 

Desde a criação, “a Câmara tem desenvolvido fortes e surpreendentes expectativas e tem recebido bastantes apoios e adesão”, disse Y Ping Chow, presidente da CCPC-PME, em entrevista ao Ni Hao Portugal.  

O objectivo da constituição da CCPC-PME é construir uma plataforma de informação e comunicação para as PMEs Portuguesas e Chinesas e através desta plataforma reforçar a cooperação entre as PMEs dos dois países para promover conjuntamente o comércio e os intercâmbios entre Portugal e China, no sentido de promover e fortalecer os laços entre Portugal e China à cooperação econômica e comercial com as devidas contribuições.

Quanto a 2020 foi um ano extraordinário, segundo Y Ping Chow. Diante de uma epidemia global sem precedentes, CCPC-PME superou várias dificuldades. “Estamos expandindo as trocas externas da CCPC-PME, o intercâmbio de pessoal transfronteiriço, a construção de plataformas de comunicação de informação, várias inspecções de projectos, etc. Muitos esforços e contribuições foram feitos em muitos aspectos e alcançaram resultados melhores do que esperávamos”. 

Actualmente, a instituição conta já com 89 membros, incluindo 16 membros do Conselho Executivo e 21 membros do Conselho Estratégico. Geograficamente, existem 47 indivíduos / empresas em Portugal, 42 indivíduos / empresas na China Continental, Hong Kong, Macau e Singapura. 

Além disso, foram estabelecidos 14 escritórios de representação na China, foram assinados 7 protocolos de intenções de cooperação. “Por meio desse grupo principal, temos uma equipa principal de mais de 100 membros. Esses membros principais incluem profissionais de várias áreas, como indústria e comércio, finanças, legal, diplomacia, etc., bem como membros do parlamento da Assembleia. As nossas equipas profissionais percorreram as regiões da Europa e Ásia e tornaram-se na mais única vantagem e no mais valioso património da nossa CCPC-PME”. 

Plano Estratégico para 2021

Para este novo ano, 2021, a CCPC-PME quer aproveitar o desenvolvimento económico chinês que pretende desenvolver o consumo interno para levar a cabo os seus trabalhos. No plano estratégico para 2021, o organismo assinala que vai continuar a promover o comércio luso-chinês num documento enviado a todos os associados da instituição. 

“Vamos para este novo ano criar empresas para importação e exportação China-Portugal e promover a multiculturalidade dos produtos chineses e portugueses […] Para já, o vinho, o azeite e os frutos secos assumem papel de destaque no mercado chinês […] Para Portugal, estamos à procura de trazer novos produtos chineses, produtos renovados e novos que são inacessíveis para já mercado português”.  

Continuar a construir uma plataforma de rede para os membros da Câmara de Comércio Europeia, Asiática e Países de Língua Portuguesa a equipe do “Grupo principal”, incluindo a organização regular de intercâmbios online entre os membros da câmara e equipa do grupo principal, e estabelecendo diferentes tópicos para discussão. 

Além disso, o plano estratégico para este ano sublinha que pretende criar uma sinergia para que todos os membros e membros da equipe principal saibam mais sobre CCPC-PME, tenham mais confiança e tenham mais participação, e continue avançando os nossos trabalhos da CCPC-PME com o princípio de “A união faz a força”. Plano de trabalho prioritário: a China é o primeiro país do mundo a sair da epidemia e também o único país que obteve um crescimento positivo na economia nacional. 

A CCPC-PME propõe-se também a promover os fundos da indústria em quatro áreas específicas: imobiliário, hotelaria, educação e produtos agrícolas. O organismo quer também responder à iniciativa ‘Uma Faixa, Uma Rota’ e promover a internacionalização do renmimbi (moeda oficial chinesa).

“Somos nós que contamos de perto com a direcção de desenvolvimento do “Ciclo Interno” da China para fazer o trabalho da CCPCPME, este é o nosso foco de trabalho para 2021. Promoveremos o comércio Luso-Chinês, fortaleceremos a constituição e expansão da rede de escritórios de representação dos Países de Língua Portuguesa e prepararemos a constituição do “Fundo Agrícola” e outros fundos”. 

Quanto ao Fundo Agrícola, Y Ping Chow afirma que está “a ser estudado a sua criação e pretendemos contar com fundos de investimentos para conjugar a agricultura com o turismo em Portugal […] Por enquanto, estamos ainda a estudar a ver se há ou não essa possibilidade e disponibilidade por parte dos investidores”. 

A associação, que tem como objectivo construir uma plataforma de comunicação e cooperação entre PME portuguesas e chinesas, tem atualmente 89 membros, incluindo 47 empresas ou indivíduos de Portugal e 42 de Macau, China continental, Hong Kong e Singapura.

“Fizemos um trabalho importante na construção de plataformas de comunicação de informação para as PME em Portugal, na China (incluindo Hong Kong e Macau) e na Europa. No início da nossa fundação, utilizámos ao máximo os recursos e boas relações da Liga dos Chineses em Portugal para construir uma excelente plataforma de informação e rede em toda a Europa e Ásia, que estabeleceu uma boa base para o nosso trabalho futuro”, termina. 

Deixa uma Resposta

Seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios estão marcados com *