ComunidadeCooperaçãoEducaçãoMacau reforça apoios a alunos que estudam em Portugal

O governo de Macau avança com financiamento para incentivar o reforço da cooperação do ensino superior de Macau na formação de quadros qualificados bilingues em chinês e português.
6 de Maio, 20206425 min

A secretária para os Assuntos Sociais e Cultura disse, na apresentação das Linhas da Ação Governativa (LAG) para a área que tutela. que o governo de Macau vai aumentar o apoio aos alunos que estudam em Portugal, no âmbito do desenvolvimento dos quadros bilingues chinês-português. 

“Em articulação com o posicionamento de Macau no desenvolvimento de quadros qualificados bilingues em chinês e português, o Fundo de Ensino Superior irá aumentar o apoio aos alunos para prosseguirem os seus estudos em Portugal”, afirma. 

Quanto ao reforço dos trabalhos de formação na área da educação turística, “será promovida a construção do Centro Internacional Português de Formação por parte do Instituto Politécnico de Macau (IPM)”. 

O prazo para apresentação de candidaturas por parte das instituições de ensino superior do território para financiar a formação de quadros bilingues em chinês e português já se encontra aberto desde 20 de fevereiro e prolonga-se até 6 de novembro do presente ano. O objectivo é incentivar o reforço da cooperação do ensino superior de Macau na formação de quadros qualificados bilingues em chinês e português.

“O âmbito do financiamento foi alargado este ano para encorajar a realização de ações de intercâmbio das instituições do ensino superior de Macau, em cooperação com entidades do ensino superior ou com entidades congéneres dos países de língua portuguesa”. 

O Fundo do Ensino Superior vai continuar a financiar projectos académicos e de investigação científica do ensino superior, de estudos sobre as diferenças entre os países lusófonos, de fóruns ou de seminários, bem como a formação e intercâmbios que melhorem a qualidade do ensino e as habilitações profissionais dos docentes, de Macau, da China continental e dos países de língua portuguesa.

Por outro lado, mantêm-se os apoios para: formação em coorganização com instituições do ensino superior e entidades dos países lusófonos; projetos académicos e de investigação científica; publicação de obras académicas, ou exploração e compilação de materiais didácticos portugueses para falantes de língua materna chinesa; exploração de materiais didáticos eletrónicos para cursos bilingues em chinês e português; e à organização de formação que melhore a capacidade pedagógica e de investigação científica.

Embora as apresentações de candidaturas para as instituições de ensino superior em Macau estejam disponíveis até 6 de novembro, o prazo para projetos de investigação termina a 4 de setembro. “Os projectos das candidaturas podem ser plurianuais, com um prazo de dois anos e concluídos antes de 31 de agosto de 2022”.

Deixa uma Resposta

Seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios estão marcados com *