ComunidadeCulturaFotografiaInauguração da Exposição “(Des)Construção da Memória 

Com curadoria de João Miguel Barros, mostra estará patente até 9 de fevereiro no Museu Coleção Berardo, em Lisboa.
1 de Novembro, 2019985 min

No próximo dia 6 de novembro, quarta-feira, pelas 19h, será inaugurada a exposição “(Des)Construção da Memória” no Museu Colecção Berardo. 

Trata-se de uma exposição que reúne fotografia, vídeo, instalação e performance e pertence a Guilherme Ung Vai Meng e Chan Hin Io, que formam o colectivo YiiMa. O YiiMa dedica-se a captar lugares e memórias de Macau que deixaram de existir. 

A “(Des)Construção da Memória” é composta por 40 obras estruturadas em cinco partes – Memória, Ritualismo, Leveza, Cerimónia e Paraíso. A exposição tem como principal missão “percorrer a memória de Macau para a resgatar do esquecimento”, revela a organização. Ao todo, este trabalho demorou dois anos a ser preparado.

Guilherme Ung Vai Meng e Chan Hin Io explicam no prefácio da “(Des)Construção da Memória” o que representa cada uma das partes que estarão expostas em cada uma das salas do Museu Coleção Berardo. 

As imagens que compõem a “Memória” são “delicadas e historicamente mais sensíveis, incluindo cenas da realidade social e de reconstrução de acontecimentos passados de Macau”. No “Ritualismo”, há um espaço dedicado à memória “constituído por fotografias que têm como denominador comum estruturas de bambu”. Já na sala da “Leveza”, irá ser apresentado “um vídeo realizado numa sala secreta da cidade antiga de Macau”. Na “Cerimónia”, apresentam-se algumas imagens “registadas num espaço anteriormente utilizado pela indústria e pelo comércio marítimo, e que agora se encontra esquecido e abandonado”.

Na última sala, estará exposta a secção “Paraíso”, o núcleo mais relevante desta exposição, já que contém “obras que retratam o mundo original de pessoas comuns e que foram pensadas com um propósito especial, uma vez que o interior de cada um dos espaços seleccionados está repleto de símbolos e objectos existentes no concreto tempo em que a ação foi registada”.

Esta exposição foi organizada no âmbito das comemorações dos 20 anos da Transferência de Macau para a República Popular da China e dos 40 anos do Estabelecimento das Relações Diplomáticas entre Portugal e China. 

A mostra conta com o apoio do Museu Colecção Berardo, Fundação Macau, Macau University os Science and Tecnology, Macau Artist Society, Albergue SCM, Bacalhoa Wines of Portugal e Pasteis de Belém. 

Durante a cerimónia de inauguração,  os dois autores irão presentear os convidados com uma performance artística. “(Des)Construção da Memória” estará patente entre 6 de novembro a 9 de fevereiro de 2020,  no Museu Colecção Berardo, em Lisboa.

 

Memória

 

Ver mais.

Deixa uma Resposta

Seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios estão marcados com *