CulturaExposição Cristóvam Dias “O verde dos bambus mais altos é azul”

Patente até 13 de setembro, no B-Lounge da Biblioteca da Universidade do Minho, Campus de Gualtar, em Braga
17 de Julho, 2019624 min

O Instituto Confúcio da Universidade do Minho e o Museu Nogueira da Silva promovem a exposição de Cristóvam Dias “O verde dos bambus mais altos é azul”,  patente até 13 de setembro, no B-Lounge da Biblioteca da Universidade do Minho, Campus de Gualtar, em Braga.

 

Cristóvam Dias

 

Sobre o artista:

Com quatro anos fixa residência em Braga, num primeiro andar do n.º 87 da Rua dos Chãos, onde existia no mesmo piso, uma galeria de fotografia ao gosto da época. Em 1951 experimenta as primeiras preocupações estéticas no campo da fotografia.

Frequentemente o seu nome está presente em vários concursos (Salões) e exposições em Portugal e no estrangeiro, onde lhe são atribuídos alguns prémios. Em 1976, e desta vez a residir em Matosinhos, retoma a sua actividade dedicando-se à fotografia a cor.

A partir de 1984 tem exposto regularmente. Em 1986 é-lhe dedicada uma bolsa pela Fundação Calouste Gulbenkian para investigação no domínio da cor, que inicia em janeiro de 1987 e lhe é renovada em 1988. Em 1993 é-lhe igualmente concedida uma Bolsa da Fundação Oriente, tendo trabalhado em Macau durante dois meses. (…)

Publica o seu primeiro portfólio sob o título “Tempos de um Tempo” que reproduz 25 dos seus principais trabalhos em cor, Porto, 1985. É editado o segundo portfólio intitulado “Cristóvam Dias”, Porto, 1994, e um terceiro, “Mar Nosso Mar”, editado pela Câmara Municipal de Matosinhos em 2001. (…)

Está representado em várias coleções particulares e ainda no Centro de Documentação Fotográfia da Unidade de Museologia da Universidade do Minho, na Délégation Générale de l’Alliance Française em Lisboa, no Centro de Arte Moderna da Fundação Calouste Gulbenkian, no Banco Espírito Santo, na Aliança Seguradora, na Câmara Municipal de Matosinhos, na Delegação Regional do Norte da Secretaria de Estado da Cultura, e na Fundação de Serralves.

Deixa uma Resposta

Seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios estão marcados com *