Relações económicasEmpresa chinesa quer comprar parte da Mota-Engil 

China Communications Construction Co pondera alargar a presença no estrangeiro com a entrada de 30% de capital na construtora portuguesa. 
21 de Dezembro, 201931004 min

A China Communications Construction Co (CCCC) quer comprar 30% da construtura líder em Portugal, Mota-Engil, passando a ser a segunda maior accionista da empresa. O objectivo é alargar a presença internacional no Ocidente. A notícia foi avançada esta semana pela Agência Bloomberg. 

De acordo com a agência, a empresa estatal chinesa estará em negociações iniciais para comprar uma posição minoritária da construtora portuguesa. A CCCC terá iniciando conversações no início da semana com assessores do grupo português através de uma oferta formal para comprar 30% de capital, avaliados em cerca de 130 milhões de euros. A se verificar, a CCCC passa a ser a segunda maior accionista do grupo. 

O objectivo estratégico é reforçar a presença internacional da multinacional de engenharia e construção de capital público chinês no Ocidente. A presença da Mota-Engil em 28 países poderá justificar o interesse da estatal chinesa pela portuguesa. 

A CCCC está presente nas mais diversas áreas do sector da construção, estradas, portos e dragagens, possuindo capitais públicos chineses. Este ano, o valor de mercado da estatal chinesa foi de 146,8 mil milhões de dólares (16,9 mil milhões de euros), quarenta vezes superior ao da Mota-Engil. 

Actualmente, a Mota-Engil é detida maioritariamente pela família Mota-Engil, com uma participação de 64,68%. Além disso, existem duas accionistas com participações qualificadas – 3,18% para a Mutima Capital (inserir o link em cima do nome: )  e 2,65% para o Norges Bank. Os restantes 35% estão actualmente disponíveis em bolsa.

A construtura portuguesa foi fundada a 29 de junho de 1946 em Amarante. Nesse ano, a construtura internacionalizou-se para Angola. Hoje, é líder em Portugal e participa em mais de 200 empresas, estando presentes em 28 países repartidos por três áreas geográficas – Europa, África e América Latina. “Somos Africanos em África, Ibero-Americanos na América Latina, Europeus na Europa, mas somos Mota-Engil em todo o Mundo”, diz o grupo.  

Este ano, a empresa cresceu 12% em termos homólogos, dando uma capitalização bolsista de 429 milhões de euros. Para 2020, a Monta-Engil pretende ser “um grupo mais internacional, inovador e competitivo à escala global”. 

 

Deixa uma Resposta

Seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios estão marcados com *