NegóciosCooperaçãoEncontro empresarial em comboio vai ligar Portugal à China

Evento de 'networking' vai decorrer ao longo de viagens de comboio na China e Europa, abrangendo Lisboa, Porto e Macau.
21 de Agosto, 20191045 min

O conceito, designado Business Rail, visa juntar empresários de diferentes setores e países em viagens de comboio. A próxima edição, que decorre na China, entre 09 e 20 de outubro, arranca em Pequim e termina em Macau, com passagens por Xangai, Shenzhen e Hong Kong.

Em Macau, os empresários vão participar na Feira Internacional de Comércio e Investimento.

Outros itinerários, que se realizarão na Europa, incluem a península ibérica – Barcelona, Madrid, Lisboa e Porto – e a Europa Central – partida em Bruxelas e destino final Roma.

“A ideia é sempre promover Portugal”, disse à agência Lusa o presidente da Associação de Jovens Empresários Portugal-China (AJEPC) e cofundador da iniciativa, Alberto Carvalho Neto.

“A grande vantagem de uma viagem de comboio é que podes entrar e sair, mudam as pessoas, e acaba por ser um evento giro a nível cultural e de ‘networking'”, descreveu.

A primeira edição realizou-se na Península Ibérica, em 2018, com partida em Barcelona e destino final no Porto, onde os empresários participaram na Feira Internacional de Negócios.

No futuro, Carvalho Neto quer aproveitar a iniciativa chinesa “Uma Faixa, Uma Rota”, que inclui a construção de uma malha ferroviária entre China e Europa, através da Ásia Central, para alargar a iniciativa a mais países.

“A ideia é que, em 2024, se consigam fazer viagens da China para a Europa: o transiberiano, que demora 10 dias, entre Pequim e São Petersburgo, e outra pelo sul, que passará pelo CazaquistãoUzbequistão, Turquia e Arménia”, revelou.

Os empresários não têm que fazer todo o itinerário, podendo embarcar e sair em qualquer umas das cidades abrangidas.

A iniciativa é organizada em conjunto pelas associações Centro Internacional de Cultura, Young Entrepreneurs Organization of the European Union e Federação SINO PLPE (Países de Língua Portuguesa e Espanhola).

A partir do próximo ano, Alberto Neto quer alargar o projeto aos países de língua portuguesa.

“Quando as pessoas se inscrevem têm de indicar o que é que estão à procura e por vezes pode haver correspondência dentro da delegação empresarial, mas acima de tudo é termos o contacto do que as pessoas querem e o que estão à procura, para fazermos ligação com as delegações locais”, explicou.

Fonte: LUSA

 

Deixa uma Resposta

Seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios estão marcados com *