EconomiaSem CategoriaCCPC-PME assina protocolo com Comunidade Intermunicipal do Médio Tejo

Com o objectivo de colaboração, o protocolo visa essencialmente a “promoção da internacionalização das empresas da região do Médio Tejo na China”. 
25 de Janeiro, 20211628 min

A Câmara de Comércio de Pequenas e Médias Empresas Portugal-China (CCPC-PME), liderada por Y Ping Chow, e a Comunidade Intermunicipal do Médio Tejo (CIMT)  assinaram hoje, em Tomar, um protocolo de cooperação entre as duas entidades.

Devido ao contexto de pandemia, a cerimónia foi transmitida publicamente através do canal youtube desta CIM, contando apenas com um convidado, António Campos, presidente da Comissão Executiva da NERSANT. Com o objectivo de colaboração mútua, o protocolo visa essencialmente a “promoção da internacionalização das empresas da região do Médio Tejo na China”. O mesmo terá a duração de 2 anos.

O acordo entre as partes prevê um conjunto de iniciativas, entre as quais a procura e selecção, em cada país, de projectos e iniciativas que possam conduzir a acções de cooperação conjunta, a par da difusão e intercâmbio regular de informação sobre as actividades desenvolvidas por ambas as instituições, bem como sobre programas e iniciativas que possam contribuir para o reforço da cooperação, através da manutenção actualizada de uma carteira de oportunidades existentes.

Além disso, visa um apoio à organização, promoção, divulgação e participação mútua em feiras e mostras, conferências temáticas bilaterais e ações de transferência de tecnologia/bolsas de contacto empresariais em  áreas de interesse de acordo com a especialização produtiva da região, bem como a participação em missões externas conjuntas cujos objectivos se enquadrem no presente protocolo de colaboração;

“Não menos importante do que estes objectivos que estão na base do protocolo que vamos hoje aqui assinar, está subjacente também um projecto de desenvolvimento de projectos inovadores conjuntos de cooperação. O médio Tejo é uma região que usufruiu de uma posição privilegiada pela sua localização central e proximidade à capital do país, Lisboa. É uma região que congrega zonas indústrias com infra-estruturas dotadas de todas as condições para atrair pequenas, médias e grandes empresas, onde o emprego e a mão qualificada assentam na forte transição da indústria automóvel, produção de energia, industria produtora de talentos, turismo, agro-alimentares e áreas emergentes como cortiça, madeira, azeite e vinho”, disse Anabela Freitas, presidente da CIMT.

“Por todas estas e outras características, acreditando que as mesmas podem e serão uma mais valia para os estabelecimentos com futuras funções de cooperação internacional, manifestamos o nosso total interesse em promover desde logo um entendimento entre o Médio Tejo e a Cidade Xanxung”.

O interesse com esta região está já pormenorizado num protocolo entre a Médio Tejo e a cidade chinesa, para que possamos dar já este primeiro passo”.

Já Y Ping Chow começou por confessar que era a primeira vez que estava em Tomar, considerando a cidade “muito bonita” e avançou ser uma honra poder proceder à assinatura do protocolo de cooperação com a CIM do Médio Tejo.

O responsável referiu que através do protocolo “será possível criar uma equipa de trabalho para melhor conhecer a região do Médio Tejo e perceber o que se pode fazer por cá”.

 “Se o Médio Tejo conseguir estabelecer uma boa relação com Changchun será importante, pois é uma cidade com várias fábricas desde a construção de comboios, camiões, carros…uma indústria pesada, bastante forte e com 7ME de pessoas”, evidenciou o presidente da Câmara do Comércio, finalizando que “há muito trabalho a fazer” e, por isso, que contava com o apoio da CIM do Médio Tejo.

Após os discursos, procedeu-se à assinatura do protocolo e à troca de lembranças entre as individualidades, que hoje deram o primeiro passo para um trabalho de cooperação e de promoção desta região.

O protocolo de cooperação é válido por um período de dois anos, entrando em vigor após a data da assinatura por ambas as partes, considerando-se automaticamente renovado, por períodos de um ano.

Criada em pleno contexto de crise pandémica  (Maio 2020) a CCPC-PME assume-se como a parceira ideal para as pequenas e médias empresas portuguesas e chinesas que buscam a internacionalização, e desta forma, contribuir para o reforço da acção empresarial entre Portugal e China. Embora a CCPC-PME é uma câmara muito recente e por detrás da câmara há muitas instituições com mais de 30 anos de trabalho.

 

Deixa uma Resposta

Seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios estão marcados com *