AgendaCinemaBiblioteca Municipal de Marvila recebe “A China fora da Caixa”

Este é um projecto intitulado “O filme do mês” e exibirá uma sessão de curtas metragens, uma exposição e debate. 
13 de Outubro, 202016810 min

 

Esta sexta-feira, 16 de outubro, a Zero em Comportamento arranca com  “O Filme do Mês” na Biblioteca Municipal de Marvila, um projecto de exibição que arranca com uma sessão de curta metragens, uma exposição e um debate, pensado para o público adulto. 

Mensalmente, teremos uma sessão de cinema na Biblioteca de Marvila, com filmes sobre temas tão distintos como: Política, Economia, Direitos Humanos, Educação, Arquitectura e Urbanismo, Artes, Ciência e Ecologia, entre muitos outros temas que irão surgir com o tempo”; afirma a organização.

O primeiro dia arranca com o programa A China Fora da Caixa que conta quatro histórias da comunidade LGBT, e uma história sobre os desafios sociais e psicológicos de uma sobrevivente de abuso sexual numa zona rural. 

“Os protagonistas das curtas levam-nos por lugares universais, ao mesmo tempo que partilham experiências individuais, e nos desafiam para reconhecer semelhanças e entender diferenças […] Este programa é um convite para crescer fora de uma caixa cultural e social, mostrando faces diversas da sociedade chinesa, com um especial foque em questões de sexualidade e género”, contam. 

 A China Fora da Caixa é um convite para crescer fora de uma caixa cultural e social, mostrando faces diversas da sociedade chinesa, com um especial foque em questões de sexualidade e género.

A exibição dos filmes será antecedida pela projecção da exposição de fotografia documental, “Família & Identidade”. A fotógrafa Irina Kovalchuk, em parceria com o centro LGBT de Pequim, documentou histórias de homens homossexuais. Fotografou esses homens nas suas casas, por toda a China, e transcreveu as suas histórias.

Nesta exposição, serão exibidas algumas dessas imagens acompanhadas de áudios com as histórias, que nos levam, não só numa viagem pelas experiências de homens nos quatro cantos da China, como nos contam a experiência da comunidade homossexual Chinesa.

Após a exibição dos filmes, decorrerá uma conversa sobre “O cinema como forma de expressão de comunidades marginalizadas”.

Devido à pandemia provocada pela Covid-19, a reserva dos bilhetes é obrigatória através do email servicoeducativo@zeroemcomportamento.org até às 15h de dia 16 de Outubro e terá um custo 4 euros. 

Programa: 

EYES – Naixin Xu, documentário-experimental, 5 min., 2018

Nesta curta-metragem, Naixin Xu expõe os entre-caminhos das lutas da comunidade LGBTQ+ Chinesa, entrevistando várias pessoas sobre as suas experiências a nível amoroso, sexual, social e familiar.

Naixin Xu é uma fotógrafa e cineasta nascida em 1993. Estudou Fotografia, Vídeo e Media na Escola de Artes Visuais de Nova Iorque. O trabalho de Naixin Xu utiliza a fotografia e o cinema documental para representar autenticidade, explorando os entre-espaços das lutas individuais em conflitos invisíveis.

TANG LONG – Jiangtian Zong, documentário, 14 min, 2019

Curta-metragem documental que acompanha o dia-a-dia de um casal do mesmo sexo, Tang Long e o seu companheiro, no Verão de 2018, nos subúrbios de Xangai. A realizadora mostra a perspetiva de um homem gay de 40 anos, através do seu quotidiano e da sua história de vida. Ao mesmo tempo que Tang Long partilha o seu presente, também revisita o seu passado.

Jingtian Z estudou Interactive Media Arts, na New York University Shanghai, onde desenvolve o seu trabalho como Investigadora Associada. A sua investigação incide sobre cinema, estudos Chineses globais, arte pública e novos media.

I LOVE YOU MAMA – Maya Peters, ficção, 5 min., 2019

Uma adolescente escreve uma carta à mãe, abrindo um caminho para a aceitação da sua orientação sexual.

Maya Peters é uma realizadora Irlandesa, com raízes na Indonésia, a residir na China.

RUINS – He Yi, Ficção, 9 min., 2018

Xiaobei regressa à sua aldeia natal, para finalizar um processo de justiça restaurativa, 10 anos depois de um episódio de abuso sexual que ela prefere não recordar. O reencontro com o perpetrador faz com que Xiaobei confronte a verdade dessa memória.

He Yi trabalhou vários anos em realização publicitária, tendo também realizado curtas metragens independentes. Em 2019, viu o “Call for Submissions” para o Festival Critica, e decidiu participar, com o objetivo de trazer visibilidade para a questão da violência sexual sobre mulheres.

WE OUTLAWS – Kaixuan Wang, ficção, 34 min, 2018

De 1979 até 1997, a “indecência” era um crime, no código penal Chinês. Durante esse período, as pessoas Trans fizeram parte de uma comunidade severamente perseguida e punida.

Ambientado no início dos anos 90, Chen Shi aparenta ser um operário comum numa fábrica de têxteis. Mas durante a noite, explora e expressa a sua identidade de género, desafiando e recusando a denominada “indecência”.

Kaixuan Wang é um realizador Chinês que almeja contar a história da comunidade LGBTQ+ através da câmara. “Conheço pessoas que não imaginam o que lhes podia acontecer há 30 anos atrás. Por isso, fiz este filme, para contar-lhes.”

Deixa uma Resposta

Seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios estão marcados com *

Posts Relacionados