NegóciosCooperaçãoEconomiaExportaçãoRelações económicas24ª edição da Feira Internacional de Macau com 205 empresas portuguesas 

Evento acolhe várias empresas mundiais e tem como objectivo promover a cooperação económica e comercial entre a China e o mundo. O arranque está marcado para a tarde de hoje e termina no próximo sábado, 19 de outubro. 
16 de Outubro, 20195911 min

A 24ª Feira Internacional de Macau (MIF) realiza-se de 17 a 19 de outubro no The Venetian Macao, em Macau, e é organizada pelo Instituto de Promoção do Comércio e do Investimento de Macau. Este, é o maior evento económico e comercial de Macau e é um dos mais famosos do mundo. 

Numa entrevista ao Jornal Económico, o Presidente da Associação de Jovens Empresários Portugal-China (AJEPC), Alberto Neto, defende que a Feira Internacional de Macau (MIF) é uma forma de promover os produtos portugueses no mercado chinês. 

Nesta edição, participam 205 empresas portugueses de diferentes setores. Esta, é “uma oportunidade para os empresários portugueses promoverem os seus produtos e serviços para a China”. 

Esta é a 24ª edição da MIF e a terceira da Exposição de Produtos e Serviços dos Países de Língua Portuguesa (PLPEX). Para Alberto Neto, a PLPEX é importante porque possibilita “a capacidade de promover os nossos produtos com uma ligação institucional brutal com o Instituto Promoção e Investimentos de Macau (…) O facto de estarmos em Macau permite-nos ter acesso a um tecido empresarial e relações institucionais que de outra forma não teríamos”.

Desde a existência da PLPEX, o empresário destaca que a “associação foi crescendo, criando mais bases e parcerias com outras associações, bem como uma zona de pontes associativistas de forma a ter melhores relações internacionais”. 

De acordo com a organização, a MIF é um espaço que oferece oportunidades de negócios bem como benefícios sob o ambiente económico diversificado de Macau. Além disso, também se dedica a apresentar potenciais parceiros aos expositores participantes, cultivando assim oportunidades dinâmicas de novos negócios para desenvolver e estabelecer negócios. 

Nas últimas edições, “a MIF tem vindo a ampliar a sua dimensão e a elevar a qualidade e o nível de internacionalização, “enriquecendo progressivamente o seu conceito de organização ao longo dos 24 anos desde a sua criação. Com tantos anos de esforços, as infraestruturas e os serviços de apoio da MIF já estão alinhados com os padrões internacionais”, disse o Secretário para a Economia e Finanças, Leong Vai Tac, numa nota de imprensa disponibilizada pela organização do evento. 

Em 2018, a feira ocupou uma área superior a 27 mil metros quadrados e contou com mais de 1500 stands expositores, atraindo mais de 50 países e regiões. Moçambique foi o País Parceiro e a Província de Fujian a Província Parceira. Para este ano, Cabo Verde ocupa o legado, juntamente com a Província de Jiangsu. 

Para a 24ª edição, o tema é “Cooperação-Chave para Oportunidades de Negócios” e tem como principal objetivo mostrar ao mundo as vantagens de Macau enquanto Centro Mundial de Turismo e Lazer e enquanto plataforma de negócios e serviços comerciais entre a China e os Países de Língua Portuguesa. 

Consulte programa em http://www.mif.com.mo/mif2019/pt/schedule/

 

Macau

 

Exposição de Produtos e Serviços dos Países de Língua Portuguesa (PLPEX)

Em 2014, na 19ª edição da MIF, foi instalada, pela primeira vez, uma área dedicada à Exposição de Produtos e Serviços dos Países Lusófonos. Três anos depois, surgiu a PLPEX como um evento independente da MIF, embora se realize no mesmo espaço. 

A PLPEX é um projecto criado pelo Governo Chinês que tem vindo a se destacar através da Plataforma de Serviços para a Cooperação entre a China e os Países de Língua Portuguesa. 

Com este projecto, o PLPEX pretende consolidar o papel de Macau, promovendo a diversificação da economia local, através de exposições, bolsas de contacto, fóruns e serve também como base para pequenas e médias empresas conseguirem-se fixar no mercado internacional. 

Para além disso, o projeto permite “aprofundar o papel de Macau enquanto plataforma de apoio aos investidores do exterior e ao estabelecimento de novas vias de cooperação para os investidores de Macau interessados em explorar oportunidades no mercado internacional”. 

Em 2017, a PLPEX contou com um espaço superior a três mil metros, número que duplicou em 2018. 

Para além das empresas, o espaço contará com espetáculos culturais, mostras de artesanato e de moda dos países lusófonos, contribuindo, assim, para uma maior divulgação destes países na China. 

Este, será o terceiro ano do pavilhão dedicado à promoção dos produtos e serviços dos Países de Língua Portuguesa e, mais uma vez, conta com a coorganização da Associação de Jovens Empresários Portugal-China (AJEPC). Esta, é uma associação que desde 2012 tem como principal missão angariar empresas lusófonas para a feira. 

Notícia relacionada https://sicnoticias.pt/economia/2019-10-01-24-Feira-Internacional-de-Macau

Para esta edição, a PLPEX tem data marcada para os mesmos dias da MFI, tal como se tem verificado nas últimas edições, “mantendo-se assim o paralelismo entre as duas iniciativas que se complementam”. 

De acordo com a organização, a realização da MIF juntamente com o PLPEX é uma aposta ganha e produz um efeito ainda melhor, “apresentado resultados satisfatórios nos últimos anos, recebendo comentários muito positivos tanto por parte de empresários como por parte de cidadãos”. 

 

Macau

 

Deixa uma Resposta

Seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios estão marcados com *